Piso Hospitalar

Piso para clínicas e hospitais

Ao escolher o piso para clínicas e hospitais, é recomendável considerar produtos que têm alta durabilidade. Dessa forma, as reformas ganham prazo de validade maior e interferem menos na rotina de pacientes e funcionários.

Embora cada área hospitalar exija um tipo diferente de revestimento, o importante, segundo especialistas, é que o material seja homogêneo e de alta resistência, como ressalta a arquiteta Jacqueline Paro, em conteúdo publicado no site AECweb.

O texto destaca que, de acordo com a RDC 50/2002 – da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – os materiais adequados para o revestimento de paredes, pisos e tetos de ambientes de áreas críticas e semicríticas devem ser resistentes à lavagem e ao uso de desinfetantes. Além disso, ressalta que devem ser priorizados os materiais de acabamento que tornem as superfícies monolíticas, com o menor número possível de ranhuras ou frestas.

A resolução determina ainda que os materiais, cerâmicos ou não, quando usados nas áreas críticas, não podem possuir índice de absorção de água superior a 4% individualmente ou depois de instalados no ambiente. Além do que, o rejunte de suas peças, quando existir, também deve ser de material com esse mesmo índice de absorção. O uso de cimento sem qualquer aditivo antiabsorvente para rejunte de peças cerâmicas ou similares é vedado pela Anvisa, tanto nas paredes quanto nos pisos das áreas críticas.

Rodapés arredondados?

Além do tipo de material, o projeto/obra para clínicas e hospitais geralmente demanda peculiaridades. Por exemplo no rodapé. A RDC 50/2002 aponta que a execução da junção entre o rodapé e o piso deve ser de tal forma que permita a completa limpeza do canto formado.

“Rodapés com arredondamento acentuado, além de serem de difícil execução ou mesmo impróprios para diversos tipos de materiais utilizados para acabamento de pisos, pois não permitem o arredondamento, em nada facilitam o processo de limpeza do local, quer seja ele feito por enceradeiras ou mesmo por rodos ou vassouras envolvidos por panos. Especial atenção deve ser dada a união do rodapé com a parede de modo que os dois estejam alinhados, evitando-se o tradicional ressalto do rodapé que permite o acúmulo de pó e é de difícil limpeza”.

Uma das soluções indicadas no mercado é usar o piso vinílico para hospital. Segundo explica a Super Pisos, em seu site, esse tipo de revestimento não propaga fungos e bactérias e é antialérgico, além de ter sua manutenção facilitada, gerando economia de material e produtos usados. “Geralmente, sua limpeza é feita com aparelhos tipo mop com apenas água e detergente neutro, o que torna o custo da sua colocação mais vantajosa a médio prazo”.

Além de escolher bem o piso para clínicas e hospitais

Um parceiro que entende de execução de obras e reformas, com gestão inteligente para seu negócio, pode fazer a diferença quando surge a necessidade de uma construir ou melhorar um ambiente corporativo no setor de saúde, incluindo hospitais, clínicas, laboratórios e consultórios.

Afinal, fica mais fácil e seguro contar com profissionais especialistas, que conhecem normas, exigências, recomendações e priorizam otimização de recursos, garantia de qualidade e cumprimento de prazos.

Adequação

A dúvida mais comum apresentada pelos arquitetos na hora de definir o piso do empreendimento hospitalar está na utilização correta do material para cada área, pois cada uma pede um produto adequado. Ela orienta que os pisos granitos, porcelanato e vinílicos comuns são usados nas recepções, corredores, enfermarias e consultórios. Os pisos vinílicos especiais, com grãos minerais que causam o efeito antiderrapante, são colocados nas rampas e escadas.

Os berçários e apartamentos recebem os pisos vinílicos acústicos. E os pisos vinílicos condutivos, que têm excelente resistência à abrasão e maior facilidade de limpeza, são utilizados em áreas de controle de condutividade elétrica, como é o caso de sala cirúrgica, anestesia e Recuperação Pós-anestésica (RPA).

Novo Projeto Hospital Universitário de Maringá.
« de 11 »

Vamos aplicar?

Neste artigo apresentamos alguns dos benefícios para reformas e adequações em Centros Clínicos, Consultórios, Hospitais, Laboratórios e Farmácias. Se você ficou interessado, entre em contato com a nossa equipe e saiba como o ambiente construído e planejado com estas estratégias, pode proporcionar mais do que apenas conforto.