REVESTIMENTOS [ cerâmicas e porcelanatos ]

Os revestimentos são utilizados nas construções para proteger a estrutura e vedação contra desgaste (abrasão) e infiltração de líquidos e gases. Com o aprimoramento das técnicas de fabricação, outros valores foram agregados ao uso e a escolha dos revestimentos, como a facilidade de limpeza, a resistência ao fogo e ao congelamento, capacidade de isolamento térmico e acústico, nível de sustentabilidade, além da enorme variedade de cores, texturas e estampas. 

Estão disponíveis no mercado diferentes tipos de materiais para revestimento, como as cerâmicas e porcelanatos, pastilhas de vidro, ladrilhos hidráulicos, ardósias, mármores, granitos, pedras naturais, pedras sintéticas e até mesmo os diferentes tipos de pintura. Cada um desses materiais possui diferentes características devido a sua composição, e por isso é importante conhecer o seu comportamento para escolher o revestimento adequado e com melhor custo benefício para aplicação.

Hoje nós vamos falar sobre cerâmicas e porcelanatos e quais fatores devemos observar na hora de escolher o melhor revestimento para cada caso.

Cada local de aplicação exige diferentes carecterísticas dos revestimentos. Os revestimentos de piso precisam ser mais resistentes que os exclusivos para paredes. Os revestimentos para áres externas e cozinhas precisam ser menos porosos para evitar manchas e facilitar a limpeza. Revestimentos de piso para áreas molhadas precisam ser antiderrapantes. Pisos de indústrias e estacionamentos precisam de uma alta resistência ao tráfego de cargas pesadas. E ainda, casos especiais como fachadas, piscinas e saunas precisam resistir a grande variação de temperatura e umidade, além de exigir argamassa e rejunte especial para evitar o desplacamento e infiltrações.

RESISTÊNCIA À ABRASÃO

A abrasão é o desgaste do piso ou revestimento cerâmico provocado por atrito quando caminhamos, arrastamos uma cadeira, ou até mesmo por partículas de areia. Esse atrito pode provocar risco, manchas e trincas.

Quando falamos em resistência do esmalte cerâmico, nos referimos a qualidade do acabamento da superfície da cerâmica. A sigla P.E.I. – Porcelain Enamel Institute – é usada para classificar a resistência do esmalte de pisos ou revestimentos. Para cada ambiente é recomendado um nível P.E.I. diferente.

PEI 1 Indica um esmalte frágil, que não aceita atrito e pode ser utilizado exclusivamente para as paredes. É possível perceber que as peças são muito mais finas que peças normalmente utilizadas para o piso.

PEI 2 Os pisos e revestimentos com esta classificação são ideais para aplicação em paredes ou em locais com pouquíssimo tráfego.

PEI 3 Este é o tipo mais usado em residências por suportar pequeno tráfego. Pode ser colocado em praticamente todos os cômodos da casa, mas ainda deve ser evitado em áreas como garagens.

PEI 4 Com um esmalte mais resistente é indicado para áreas de alto tráfego, como garagens ou estabelecimentos comerciais com muito movimento de pessoas.

PEI 5 Nesta classificação estão os pisos com o esmalte mais resistente. São indicados para lugares com altíssimo tráfego de pessoas, como shoppings, aeroportos e locais públicos de alto fluxo de pessoas e pequeno tráfego de veículos.

A classificação PEI refere-se apenas a qualidade do esmalte do piso e não a resistência da peça em si. Um piso PEI 5 é mais resistente a riscos de pedras ou objetos pesados sendo arrastados do que um PEI 3, por exemplo; mas isto não quer dizer que o PEI 5 suporta o peso de um caminhão. A resistência a peso implica em outros fatores, como a qualidade da cerâmica, qualidade da base do piso, forma e materiais usados no assentamento, entre outros.

POROSIDADE E ABSORÇÃO

Um dos parâmetros de classificação das placas cerâmicas é a absorção de água, que tem influência direta sobre a resistência à manchas e resistência mecânica. Quanto mais baixa a absorção, mais resistente e menos suscetível à manchas.

Para locais mais úmidos ou que estão em contato com outros produtos, como banheiros e cozinhas, recomenda-se a utilização de revestimentos de baixa absorção.

BIa Þ de 0 a 0,5% – Porcelanatos de baixa absorção e resistência mecânica alta

BIb Þ de 0,5 a 3% – Grês de baixa absorção e resistência mecânica alta

BIIa Þ de 3 a 6% – Semi-grês de média absorção e resistência mecânica média

BIIb Þ de 6 a 10% – Semi-poroso de alta absorção e resistência mecânica baixa

BIII Þ acima de 10% – Poroso de alta absorção e resistência mecânica baixa

É importante ressaltar que as placas cerâmicas classificadas como BIII possuem baixa resistência mecânica, o que significa que não resistem ao tráfego e por isso são recomendadas para serem utilizadas como revestimento de paredes internas.

RESISTÊNCIA AO ESCORREGAMENTO

[ coeficiente de atrito ]

A resistência ao escorregamento atesta a segurança do usuário ao caminhar pela superfície, principalmente na presença de água, óleo ou qualquer outra substância, ou em superfícies de aclive e declive. Dessa forma, não existem produtos antiderrapantes, mas sim condições de menor ou maior resistência ao escorregamento.

Muitos dos pisos cerâmicos, esmaltados ou não esmaltados, apresentam rugosidades ou adição de cristais de óxido ou de areia abrasiva sobre sua superfície, o que aumenta substancialmente sua resistência ao escorregamento. O coeficiente de atrito dinâmico é considerado o parâmetro para mensurar o índice de escorregamento; maior atrito, menor escorregamento. No entanto, quanto maior o coeficiente de atrito, mais áspera é a superfície e maior é a dificuldade de limpeza. Assim, o índice 01 de coeficiente de atrito seria ótimo se considerado isoladamente; mas, quando é necessário unir resistência ao escorregamento com a facilidade de limpeza, o ideal é ficar entre os limites de segurança apresentados a seguir.

Até 0,4 Satisfatório para instalações normais

0,4 a 0,7 Recomendado para uso onde se requer resistência ao escorregamento

a partir de 0,7 Recomendado para locais onde o risco de escorregamento é muito intenso (áreas externas em aclive ou declive).

Os pisos cerâmicos com maior resistência ao escorregamento são particularmente indicados para superfícies próximas a piscinas, rampas, degraus, banheiros, locais laváveis constantemente e áreas externas, além de ambientes públicos em geral.

Com esse pequeno resumo dá pra perceber que o universo dos acabamentos e revestimentos é enorme e vai muito além de estética e tendências. Se você se sentir insegura(o) pra escolher a melhor opção, peça a opinião de uma(um) profissional e certifique-se de que a mão de obra que irá instalar o produto é qualificada. Não adianta investir em um produto de qualidade se ele for danificado ou mal instalado, podendo acarretar diversos problemas técnicos como infiltração, irregularidade e trincas.